En

ZYG é uma experiência artística num espaço imersivo onde a música e a dança se cruzam para explorar as fronteiras entre a comunicação, o jogo informal, a descoberta dos sentidos e o instinto da arte. Especialmente pensada para crianças dos 0 aos 36 meses num formato íntimo, original e inovador, ZYG é simultaneamente uma instalação e uma performance, um convite à imaginação, ao espanto, à escuta, à construção duma poesia-do-momento, feita de sons, formas e gestos.
DEDICADO A COLWYN TREVARTHEN
ZYG
ZYG resulta duma parceria entre a Companhia de Música Teatral, a Fábrica das Artes e a companhia de dança contemporânea norueguesa dybwikdans, com o apoio do programa Pegada Cultural | Primeiros Passos. É uma “constelação artistico-educativa” que tem como corpo principal um dispositivo cénico habitado por som onde decorre uma performance construída em tempo real.

À volta desta experiência gravitam outras iniciativas complementares que procuram alargar as repercussões da ideia central, nomeadamente uma conferência-performance ou uma acção de formação que permitem comunicar ao público em geral e a agentes educativos e artísticos alguns dos princípios que orientam as nossas ideias sobre criação artística para a infância e sobre a importância das artes como instrumento de desenvolvimento social e humano.

ZYG começa por ser um espaço poético: uma casa, um ventre, um ovo, um ser vivo, ou isso tudo e nada disso, talvez apenas um convite à imaginação.
Uma estrutura aberta, em comunicação com o exterior, onde o diálogo entre o vazio e as linhas orgânicas da madeira cria a sensação de espaço delimitado. Dele emana um manto sonoro onde coabitam sons electrónicos, da paisagem sonora, da voz humana, de objectos ou instrumentos alternativos, de memórias de projectos anteriores concebidos para os mais pequenos. Um espaço íntimo, acolhedor, convidativo ao entrar e ao estar, ao ouvir e ver de formas muito diferentes e pessoais. A várias “vozes” seguindo vários trilhos possíveis desvendados pela escuta. Seja a do ouvido ou a de outra qualquer forma de perceber a vibração que emana do espaço

Na performance ZYG, a instalação cruza-se com a dança e é proposta uma experiência mediada por um “interactor” (um(a) bailarino(a) que constrói o discurso do seu corpo em tempo real, como resultado das relações entre o som, os elementos cénicos e as crianças e adultos que entram no espaço). A performance tem uma natureza intimista e privilegia o envolvimento próximo dos participantes: o diálogo constrói-se ao longo de 20 minutos, é sempre diferente e explora elementos da comunicação não verbal, do corpo e da voz, num equilíbrio delicado entre os vários universos que a instalação e o público propõem. A performance é estruturada por todos os “arquivos do corpo” que a exploração do espaço e da música permitiram construir ao longo do processo de criação, pela “gramática” de elementos comunicativos que temos vindo a observar ao longo de vários projectos com crianças pequenas, pela ideia de Musicalidade Comunicativa proposta por Colwyn Trevarthen que nos tem inspirado num contacto próximo, e sobretudo por uma “prontidão” e “abertura” para o aqui e agora.


COORDENAÇÃO DO PROJECTO COMPANHIA DE MÚSICA TEATRAL

DIREÇÃO ARTÍSTICA PAULO MARIA RODRIGUES E SIRI DYBWIK / COREOGRAFIA SIRI DYBWIK / MÚSICA NILLS CHRISTIAN FOSSDALL E PAULO MARIA RODRIGUES / RECURSOS EDUCATIVOS HELENA RODRIGUES / ESPAÇO CÉNICO MIGUEL FERRAZ / BLOBOBJECTS IZABEL ROCHA / CONSULTORIA NA REALIZAÇÃO PLÁSTICA RAQUEL GOMES / FIGURINOS EVELYNE ROHRER / ELETRÓNICA RUI PENHA / INTÉRPRETES PEDRO RAMOS E SANDRA ROSADO

ZYG É UMA CO-PRODUÇÃO DA COMPANHIA DE MÚSICA TEATRAL E FUNDAÇÃO CENTRO CULTURAL DE BELÉM/FÁBRICA DAS ARTES, EM COLABORAÇÃO COM A COMPANHIA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA NORUEGUESA DYBWICKDANS, NO ÂMBITO DO PROGRAMA PEGADA CULTURAL | PRIMEIROS PASSOS.

A COMPANHIA DE MÚSICA TEATRAL É UMA ESTRUTURA FINANCIADA PELO GOVERNO DE PORTUGAL | SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA - DIREÇÃO GERAL DAS ARTES. DYBWIKDANS É UMA ESTRUTURA FINANCIADA POR STAVANGER KOMMUNE E ROGALAND FYLKESKOMMUNE.

«Comove-me muito esta estranheza. A sensação que fica daqueles sons, daquele espaço. O espaço e um bailarino que se oferece para que o pensamento-corpo das crianças revele sua potência e o seu devirum acontecimento delicioso para assistir! A proximidades dos corpos, a estranheza da dança contemporânea, o jogo entre o abstracto e o concreto. Às vezes, são bichos. E depois voltam ao seu mundo. Ilha de lugar branco. Espaço onde se está dentro e, ao mesmo tempo, onde se é livre. Estar dentro e estar fora. Ilha onde cabem todas as infâncias.»

Madalena Wallenstein,
Coordenadora e programadora
CCB/Fábrica das Artes




«(...) É assim uma espécie de
música-espaço, música-lugar,
música-casa que nos recebe
de volta.

Pitta,
Bióloga




«ZYG oferece a oportunidade de uma fecundação artística. A experiência de retorno a um ventre para a interação com sons, gestos, cores e movimentos permite ao bebê a redescoberta de um olhar interior. Um olhar revelador de sensações e emoções puras, passadas ou futuras, que ocorrem na intimidade de uma experiência estética inovadora na abordagem com bebés e suas famílias.»

Ricardo Dourado Freire,
Coordenador do Programa Música para Crianças da
Universidade de Brasília

COCRIAÇÃO
Em coprodução com a Fundação Centro Cultural de Belém/Fábrica das Artes.
A Companhia de Música Teatral é financiada pelo Ministério da Cultura - Direção Geral das Artes.
A dybwikdans é financiada por Stavanger Kommune e Rogaland Fylkeskommune.